Documentos, bagagem e mercadorias: O que precisa saber para entrar no país

A Alfândega do Chile contribui com o crescimento e a competitividade da economia nacional através da fiscalização, promoção do cumprimento voluntário da normativa e a facilitação do comércio exterior lícito para a proteção do país e seus cidadãos.

150512_Post-700x260-C

Documentos

  • Os estrangeiros que entrem ao país deverão contar com seu passaporte, embora no caso de Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, é possível apresentar somente seu documento de identidade vigente (Carteira de identidade ou DNI).
  • No caso de viajar acompanhado de menores de idade, estes deverão contar com a documentação de identidade e ter as correspondentes autorizações de viagem.
  • No momento de entrar no país, o estrangeiro receberá um cartão de turismo, o qual credenciará a sua condição de turista enquanto permaneça no Chile. Em caso de extravio deste documento, deverá se apresentar em qualquer Departamento de Imigração e Polícia Internacional ou passagem de fronteira controlada pela PDI (Polícia Federal) e solicitar uma cópia do referido documento.
  • É importante especificar também que em caso de roubo ou perda de documentos de identidade, os turistas deverão se apresentar em qualquer Departamento de Imigração e Polícia Internacional da PDI, onde um Policial registrará a respectiva constância de perda destes, para o qual o estrangeiro deverá apresentar duas fotos (tamanho carteira de identidade) com nome completo e número de documento. Este trâmite tem um valor de $500 chilenos.

Para mais informação visite o site da PDI.

Viajantes

No momento de entrar no país e após o controle migratório, você deve se apresentar, com a sua bagagem, na Alfândega e no SAG (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e declarar os itens que portar. Depois disso, você deverá preencher os dados da Declaração Conjunta Alfândega–SAG que pode ser baixada em PDF aqui.

Bagagem

As mercadorias incluídas no conceito de bagagem de viajante encontram-se liberadas do pagamento de direitos de importação e impostos, sejam as referidas mercadorias novas ou usadas, que um(a) viajante leve para uso pessoal ou para obséquios, exceto as que devido a sua quantidade ou valor levem a supor sua comercialização.  Maiores detalhes aqui.

As mercadorias não incluídas no conceito de bagagem e as que por sua quantidade ou valor levem a pensar que serão comercializadas serão reguladas pelo regime geral ou especial que lhe seja aplicável.

Declaração de moeda

Se no momento de entrar no Chile portar montante em dinheiro que supere os 10.000 dólares dos Estados Unidos ou o equivalente em outras moedas, incluído o peso chileno, deverá se apresentar ao (à) funcionário(a) da Alfândega para preencher a declaração respectiva.

Lembre-se:

  • No Chile é proibida a fabricação, importação, comercialização, distribuição, venda, entrega sob qualquer nome e uso de fogos de artifício, artigos pirotécnicos e outros artefatos parecidos, suas peças ou partes, incluídos nos grupos número 1 e 2 do Decreto Supremo Nº77, de 1982, do Ministério da Defesa Nacional.
  • Não aceite bens de terceiros ou encomendas de desconhecidos.
  • Evite inconvenientes e declare corretamente o que transportar.

Para mais informações visite o site de Aduanas de Chile.